Clínica Dentária Happy | Odontopediatria
525
post-template-default,single,single-post,postid-525,single-format-quote,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Odontopediatria

— Odontopediatria

A Odontopediatria é a área da Medicina Dentária dedicada à saúde oral de bebés, crianças e adolescentes. Através de cuidados preventivos e terapêuticos, adaptados a cada faixa etária, bem como do fornecimento de informação adequada para a manutenção da saúde oral, pretende-se que a criança cresça com uma boca sã, estética e funcional para que se torne um adulto com um sorriso feliz, harmonioso e “sem medo do dentista”, durante toda a vida.

Quando deverei iniciar os cuidados de saude oral do meu filho?

Mesmo antes dos dentes nascerem, a seguir a amamentação, deve limpar-se a cavidade oral do bebé, colocando em volta do dedo uma dedeira de borracha ou uma gaze humedecida com água morna e com movimentos rotativos, começar pelos lábios e depois continuar na boca, pelas gengivas e língua. Este procedimento diário, diminuirá o risco de aparecimento de doenças como a candidíase oral (“os sapinhos”) e o desconforto quando nascerem os primeiros dentes.

Qual a idade ideal para o levar ao dentista?

A primeira consulta deverá ser após o nascimento do primeiro dente ou, no máximo, até a criança completar o primeiro ano de vida.

Com que regularidade o devo levar ao dentista?

Quando a criança tem uma boa saúde oral, deve ser observada de 6 em 6 meses. Quando existe um elevado risco de cárie, de 3 em 3 meses.

Como devo preparar as consultas?

Para o sucesso das consultas, é fundamental que se transmita segurança à criança (atenção que a ansiedade dos pais passa para as crianças como medo) e que antes da consulta se descreva os procedimentos que se vão realizar, mas tendo cuidado com a sensibilidade própria de cada criança. Crianças ansiosas poderão ficar angustiadas com expressões como “arrancar dentes” e “picas”.

Quando nascem os primeiros dentes?

Os primeiros dentes ou “dentes de leite”nascem entre os 6 e 8 meses de idade. Entre os 2 anos e meio e os 3 anos de idade, os 20 dentes temporários já estarão presentes na cavidade oral.

Qual a importância dos dentes de leite?

Os dentes de leite são muito importantes para o desenvolvimento normal das crianças pois servem para mastigar, sorrir (estética), manter o espaço para os dentes definitivos; influenciam o crescimento dos maxilares, a fala (fonética), a respiração e o engolir dos alimentos (deglutição).
Atenção que os últimos dentes de leite a serem substituídos (os molares) não caem antes dos 11-12 anos.

Quando surgem os dentes definitivos?

A mudança dos dentes dá-se em 2 fases:
• Entre os 6 – 8 anos: 8 incisivos (dentes da frente, 4 em cima e 4 em baixo) e os primeiros molares (“os sextos”, bem lá atrás,em cima e em baixo, por volta dos 6 anos e não cai nenhum dente para eles nascerem)
• Entre os 10 – 12 anos: são substituídos os caninos e os molares (estes últimos pelos pré-molares); por volta dos 12, nascem também os segundos molares definitivos – “os sétimos” – sem que caia nenhum dente, atrás dos primeiros molares
Nota: Os chamados “dentes do siso” só nascem por volta dos 18 anos.

Como sei que lhe estão a nascer os dentes?

Geralmente a criança manifesta algum desconforto e sintomas como gengivas avermelhadas, aumento da salivação, ansiedade/ irritabilidade, perda de apetite e alteração dos hábitos nutricionais, dificuldade em dormir/ sono agitado. Outros sintomas, como a febre (que pode ser provocada pelo nascer dos dentes), vómitos ou diarreia (a diarreia leve por vezes está associada à colocação por parte da criança de objectos na boca contaminados) podem ter outras causas e no caso de persistirem ou agravarem, deverão orientar os pais para o médico pediatra.

Como posso ajudá-lo a aliviar os sintomas?

Para aliviar o desconforto do seu filho poderá usar mordedores limpos (que poderá arrefecer no frigorífico), oferecer-lhe alimentos duros como tiras de cenoura ou torradas, utilizar dedeiras ou acessórios para estimular a área. Nalguns casos, poderá ser indicado o uso de anestésico local (à venda em farmácias) e até analgésicos para aliviar a sintomatologia.